quinta-feira, setembro 06, 2007


um mundo possível

de todos os lugares longe como ontem
tu és talvez o mais próximo;
sei-o porque estendo
e sinto-te o contorno
fronteira inviolada.

mas um corpo é um país
sem língua conhecida
a viver em desgoverno
por isso os gestos
e os equívocos
são muito necessários.

recuaremos ao tempo
da formação das ilhas,
da medição dos espaços
com aparelhos imprecisos,
do fogo a forjar objectos
nunca vistos;

recuemos até antes das florestas
quando paisagem não se dizia assim.


David Augusto Fernandes

Sem comentários: