sábado, agosto 06, 2005

Devo andar carente porque me sinto à procura.


Falo de livros. E não vou atrás, não porque vá à frente; vou simplesmente à procura.


Acho que só se pode ir à procura assim sem ir atrás, tão pouco à frente, de livros de poesia. E o encontro é rápido, é prático, sem sedução: é brutal.

Não acredito que se consiga coisa assim num folheio de um romance.


"quién no ha buscado el placer nítido?
quién no ha intentado organizar un desenlace sin escombros?"


Inventário Dos
Mario Benedetti
Pág. 187


A poesia aborda-me como uma puta: sem rodeios.