quarta-feira, setembro 19, 2007

E para final conversa ...



Ele há mil e uma maneiras de manter uma conversa sem sentido, m
as muito menos de a terminar de forma inequívoca.

A propósito dos malfadados livros que não mudaram vidas, Abel Barros Batista (que eu infelizmente não conheço) citado pela Carla Quevedo (que eu também infelizmente não conheço) no bomba-inteligente diz:

"A única maneira de tornar a conversa aceitável, digamos assim, seria propor a quem nos dissesse que certo livro não lhe mudou a vida: «Bom, vamos lá então saber que vida tem sido a sua…»"

Genial.

Sem comentários: