terça-feira, setembro 11, 2007


Anda por aí uma corrente sobre “10 livros que não mudaram a minha vida” a gerar grande debate.

Tendo em conta o estatuto da maior parte dos “aderentes”, muitas das suas respostas são, no mínimo, surpreendentes; há quem as ache chocantes.

Coloquei-me na posição de convidado da corrente e pus-me a olhar para as estantes aqui ao lado e não encontro um único que me tenha mudado a vida. Não são muitos; serão talvez uns 500 livros. Comparada com a biblioteca de qualquer um deles é ... miserável.

É pois da esfera da lógica o problema que me assalta os miolos: como escolher (sim, trata-se de escolha) 10.

Só vejo uma possibilidade: são os 10 livros que melhor não-mudaram a minha vida (os que possuem algo que os diferencia dos outros que também não-mudaram, só que menos, em menor grau portanto. Pergunto: não deverão ser estes os escolhidos?!?!

Concordo com alguém (esqueci onde, peço desculpa) que disse que a pergunta era irrespondível.

É, também me parece.

Assim como me parece, estranhamente, tratar-se de um gesto de vaidade inconsequente e completamente desnecessário, tendo em conta (repito) o estatuto dos respondedores.

Lanço daqui um repto a quem interessar: “10 livros que não sabes de que forma não mudaram a tua vida”.

Links: há muitos, o bomba-inteligente tem quase todos.

Sem comentários: