segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Johan Adonis - nome de parasita

Johan Adonis tem um blog e é um falsário, um parasita.

Nesse blog, este "senhor" publicou um post no dia 10 de Setembro de 2008 (post esse já retirado) em que nos dava conta de ...

"(...) um dos versos meus que recitei no Folctech 2008 realizado pelo Colégio São José, onde fui agraciado juntos com outras pessoas da nossa terra que contribuem de alguma forma com a cultura e o desenvolvimento do nosso município, com uma placa de reconhecimento cultural."

Esses "versos" intitulados "Agasalho de poeta" são afinal um poema de Nathan de Castro intitulado "Soneto com nó" e foi editado em 2005 no livro “1001 NOITES DE SONETOS E RABISCOS” e publicado no seu blog pessoal em 5 de junho de 2006.

O que leva alguém a expôr-se ao ridículo de uma situação destas, é coisa que me escapa completamente.

O referido “parasita” de seu nome Johan Adonis retirou o post onde publicava o poema (o que, só por si, é uma assunção de qualquer coisa) mas o google ajuda-nos.

O lamentável post continua no cache do google e pode ser visto aqui. Não dá trabalho nenhum a procurar as semelhanças: é um cópia integral.

Tal como às carraças, não se pode dar tréguas a estes parasitas.

10 comentários:

Dalva Agne Lynch disse...

parece que ninguém está livre da praga do plágio! Que vergonha - roubar um poema é pior que roubar dinheiro, porque você demonstra não ter capacidade de criar por si mesmo. Meu poema Separação de Bens, que ganhou prêmio, foi publicado aqui e na Inglaterra, também sofreu essa desgraça - com algumas palavras acrescidas, foi declamado publicamente pela... mmm... "autora" do descalabro, e posteriormente publicado no site Luna e Amigos. Como metade da net sabia que o poema era meu, e as circunstâncias singulares sob as quais eu o escrevi, a coisa ficou ainda pior para quem plagiou. Enquanto isto - nosso Googles ainda apresenta, em alguns sites, meu poema como de "autor desconhecido." HAJA SAAAACO.
Com tudo isto, entendo e simpatizo com Nathan em sua revolta contra o roubo.
abraços,
Dalva Agne Lynch
www.dalvalynch.net

Gigio disse...

o que faz um cretino desses se achar feliz com o texto alheio

Rosangela Aliberti disse...

Olá David

...as pessoas estão atentas a verdade e esta está atravessando fronteiras

Hoje na "net" sabe-se que Johan Adonis ganhou o "prêmio" de atestado de incompetência por ter "blogado" e trocado o título de um poema (AGASALHO DE POETA, que não se trata de plágio e pura cópia) de um soneto que NÃO É SEU, fui à Bienal e comprei o livro há alguns anos atrás, por acaso o tenho aqui em mãos como inúmeros outras pessoas que podem atestar que na verdade... o SONETO é da autoria de NATHAN DE CASTRO estando editado em livro, seguem os dados:

Soneto com Nó
Nathan de Castro Ferreira Junior
In: 1001 noites de sonetos & Rabiscos, Scortecci Editora, 2005
p. 90

Abraços da Rosangela Aliberti

Dica Visite a Comunidade: Afinal, quem é o autor? (orkut) Objetivo: Alertar sobre troca de autorias, textos apócrifos, possíveis plágios, divulgar e ESCLARECER quem são seus verdadeiros autores.
“Direito autoral é coisa séria!”

Rosangela Aliberti disse...

Correção: "...e foi editado em livro" (desculpe a falha na concordância verbal) devido ao sentimento de indignação.

sunny disse...

Nathan de Castro é um dos maiores sonetistas do Brasil e plagiá-lo é mal educado, feio, roubo! Ninguém tem o direito de se apossar do que é dele. Aqui o meu apoio ao amigo querido, esperando que logo isto seja resolvido. Sunny Lóra

Anónimo disse...

Nathan de Castro é um nome muito conhecido por seus perfeitos sonetos e pela sua singularidade. Infeliz o criminoso que o plagiou. Aborreceu muita gente importante e indignou os leitores de Nathan.Desonrou o próprio nome e é taxado de impostor. Aplaudo todos aqueles que ainda lutam pela dignidade humana. Somos poucos, mas existimos e aparecemos. Não permitamos que vícios assim caim na vala dos comuns.
Cleide Canton
www.paginapoeticadecleidecanton.com

Betty Vidigal disse...

Será q o plagiador imaginou q estaria a salvo, por Nathan ser um poeta brasileiro?

Tenho visto alguns casos assim. É incompreensível.

Se alguém não é poeta, pq fingir q é? Pq não se dedicar a uma tarefa em q possa se sair bem por mérito próprio?

Isso é diferente do "texto apócrifo", q em geral circula com autoria trocada por outrem q não o autor -- nem o escritor a quem foi atribuído. Isso é coisa de desequilibrado mental q, por razão q as pessoas normais não conseguem entender, precisa sentir-se incensado por habilidades q não tem!

Quem sabe se fosse jogar vôlei... Dançar... Cantar... Quem sabe numa dessas atividades o plagiador se destacasse.

rosapena disse...

Nathan de Castro ... UM NOME QUE SERÁ LEMBRADO COMO Olavo Bilac, Bandeira, Drummond.. Ah! Coitados dos ladrões de poesia que tentam roubar o brilho por não conseguirem ver estrelas... que dirá ouvir! rosa pena

Anónimo disse...

Normal, se conhecermos o cidadão a quem se refere. Não me surpreende em nada tal atitude de alguém que vive em função de uma máscara, de uma maquiagem enredada de mentiras e falta de criatividade. Esse cidadão certamentetem por máxima "que na vida, nada se cria, tudo se copia". Ele próprio é uma cópia barata de cidadão. Mentiroso, pilantra, enganador são adjetivos bem pertinentes a esse "cidadão". Em um linguagem bem nossa, esse é um verdadeiro "caba de peia".

Potengi disse...

É horrível saber que alguém que se posta como alguém que presta um serviço a comunidade seja na realidade tão pilantra. Quem o conhece certamente tem facilidade em concordar com o comentário anterior. Irei além ao escrever que a única boa coisa que esse camarada deveria fazer com o mínimo de decêcia seria desculpar-se publicamente em seu blog (na verdade um verdadeiro reservatório de veneno e mentiras). Plágio é crime e criminosos sem caráter como esse tal de J. Adonis deveriam estar na cadeia. Tente ter o mínimo de decência, se desculpe, pois jamais chegarás a ser rastro desse que plageias.