sábado, março 05, 2005

Está outra vez a recuar!

Irrita-me muito o céu tão claro
neste chão sem sombra de nuvem.


¿Pode a mão tocar a mão
e não ser linha de domínio
esse mais longe que alcança
se só um rio que eu
    - que tu -
conheço faz
    - mas ele antigo
    e grande,
    e muito forte,
    e insciente -
das pontes que não podemos alimentar
pontes?

E se pudéssemos unir as margens a vau,
quantas pontes tem um rio seria cardinal irrisório,
não?

Vê como procuro saídas
deste, apenas parte de, tudo o que não se vislumbra.

Irrita-me muito o céu claro:
que chova muito,
que chova muito,
e que o rio não sofra com este meu desejo espiralado,
minha falta;
ele e com ele quantos vivem na procura da corrente contrária,
vidas inteiras tão felizes com tão só:
- Está outra vez a recuar!

David Fernandes

Sem comentários: