segunda-feira, março 14, 2005

Elogio da solidão

Pode demorar muito tempo a descobrir-se aquela parte do corpo - inteiro - que incumbe a distância de zelar pelo amor - na falta de palavra mais exacta -, mas cedo ou tarde - e a oportunidade do momento não depende de coisa alguma - vai dar, de si, notícia de existência.

É de um desses pedaços de ser que fala quem diz: conheço-te tão bem!

Sem comentários: