quinta-feira, janeiro 31, 2008

Os Lusíadas em números



Os substantivos mais utilizados n'Os Lusíadas são:

  1. gente (220)
  2. terra (216)
  3. rei (194)
  4. mar (187)
  5. mundo (103)
  6. céu (81)
  7. reino (77)
1750 inícios de verso distintos e os mais frequentes são:
  1. Que (779)
  2. E (439)
  3. A (347)
  4. De (334)
  5. O (292)
  6. Mas (221)
  7. Por (181)
  8. Com (177)
  9. Os (155)
  10. Não (149)

Gente, é o substantivo mais frequentemente usado como início de verso. Há 9 versos começados com Gente.

Camões utiliza um vocabulário de 8786 palavras sendo que a obra é composta por um total de 52917 palavras.

A palavra não aparece 556 vezes enquanto a palavra sim não aparece nenhuma.

Quem quiser saber mais coisas, pergunte.

3 comentários:

Xavier Zarco disse...

Camarada,
Camões é o maior, disso não há margem para quaisquer dúvidas.
Um universo de palavras superior a oito mil numa única obra é Obra.
Quanto ao "sim", tal não será de admirar: trata-se de uma partícula estranha numa engrenagem épica.
Mas o "sim" existe porque é certo que vai erguer Obra, a Obra do Poeta e a Obra de um Povo.
Um abraço

Xavier Zarco

serrata disse...

Viva Xavier

Eu penso que o "sim" não é só estranho numa "engrenagem épica"; parece-me (e é só intuição) que é estranho em poesia.

Abraço
David

Xavier Zarco disse...

Também o é, mas na épica ele assume um valor pré-existente, enquanto na lírica ou no drama talvez seja mais mais expectativa ou esperança.
Talvez por isso, o "sim" seja tão pouco utilizado.
Isto, claro!, se não quiser efectuar outro tipo de leituras.
Um abraço

Xavier Zarco